Novas orações silenciosas – Gratidão ao Gohonzon

Como muitos já devem saber, em 2016 a SGI lançou uma nova versão com a Liturgia do Budismo Nichiren, com mudanças nas orações silenciosas, passando a se chamar Liturgia da SGI.

Há várias mudanças, entre elas o formato mais compacto, direto e sem repetições das orações. Um exemplo de simplificação foi a substituição de “devotando-me respeitosamente” por “devoto-me com gratidão”. Outras mudanças vieram também na grafia, que procurou uniformizar a escrita para o alfabeto ocidental. Por exemplo, agora será mais comum ver escrito “Nichiren”, ao invés de “Nitiren”.

Agora as orações silenciosas estão reunidas em três grupos:
– Gratidão ao Gohonzon
– Gratidão aos três primeiros presidentes
– Realização do kossen-rufu e em memória dos falecidos

Hoje iremos falar sobre o primeiro grupo de orações.

As orações de “Gratidão ao Gohonzon” louvam a grandiosidade do Gohonzon e agradecem a Nichiren Daishonin, o Buda dos Últimos Dias da Lei que revelou o Gohonzon. Também oramos em gratidão a Nikko Shonin, o discípulo direto e sucessor de Daishonin que herdou e transmitiu para a posteridade o Gohonzon.

A oração ficou mais curta sem deixar de mencionar as questões essenciais.

Uma mudança que chamou atenção de algumas pessoas é a retirada da oração a Nitimoku Shonin. Não encontrei uma resposta oficial, mas posso falar baseada em mudanças anteriores. Como foi apresentado na história do Gongyo, nas últimas décadas as orações foram simplificadas para torna-las mais fáceis em compreensão e na recitação. Por exemplo, em 1990 agradecia-se a Bonten (Brahma), Taishaku (Shakra), Nitten (Sol), Gatten (Lua) e Myojoten (Estrela Polar), que estão representados no Gohonzon. Passamos a dizer apenas “funções protetoras do universo” e agora dizemos “divindades celestiais”. A ideia foi aproximar a oração da nossa realidade atual.

gratidaoNo caso de Nitimoku Shonin, podemos entender que sua história também está distante de nós. Ao longo do tempo, muitos outros líderes budistas foram retirados da oração (como Nichido Shonin, o quarto sumo sacerdote, e seu sucessor, Nichigyo Shonin) e acrescentados outros, que estão mais próximos de nossa realidade – os presidentes da Soka Gakkai. Então por que não tirar também Nikko Shonin? Por uma questão que deveria bem simples: o budismo de Nichiren Daishonin se pauta na relação entre mestre e discípulo. Embora Nichiren tenha compreendido a natureza do Sutra de Lótus, seu ensinamento teria se perdido se não fosse passado a um discípulo responsável pela sua propagação após sua morte. O que se prioriza então é essa relação, e não apenas a sucessão de sacerdotes. No século XX, o papel de mestre foi e está sendo liderado pelos presidentes da SGI, citados no segundo grupo de orações.

Apesar da padronização da oração, devemos ter sempre gratidão a todos esses seres e forças que contribuíram para trazer o Budismo de Nichiren Daishonin até hoje e nos auxiliam a cada dia.

San

Anúncios

6 pensamentos sobre “Novas orações silenciosas – Gratidão ao Gohonzon

  1. Boa tarde San
    Gostaria de informações sobre templo e grupos que praticam o budismo na cidade de Campinas/Sp.
    Você saberia me dizer?

    Obrigada
    Helen K. Dassie

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s