Nitiren Daishonin

Mesmo quando nos dispomos a conhecer uma nova crença, é difícil se abrir totalmente logo de imediato, recitando todos os mantras ou orações e citando nomes e palavras que não conhecemos.

Assim também foi comigo em relação ao budismo de Nitiren 🙂

Por isso decidi colocar no blog pequenos textos explicando as orações silenciosas que fazemos ao final do gongyo, já que, na verdade, é mais importante manifestarmos nossa real gratidão enquanto oferecemos as orações do que simplesmente ler o seu conteúdo de maneira ritual.

Espero que ajude em suas buscas!

Oração aos Três Mestres

A primeira parte deste trecho diz:

“Devotando-me respeitosamente a Nitiren Daishonin, o Buda Original dos Últimos Dias da Lei, ofereço minhas sinceras orações em agradecimento pelos benefícios conquistados.”

saky_dharmaSidarta Gautama (aprox. 560-480 a.C.), que ficou conhecido como Buda Sakyamuni, foi o primeiro homem que registrou ter alcançado o estado de Buda ou iluminação. Para seus primeiros discípulos, Sakyamuni deixou uma série de ensinamentos preparatórios, para que no futuro fossem revelados os ensinamentos que de fato poderiam levar à iluminação. No Sutra de Lotus, o Buda Sakyamuni disse que seria preciso muita coragem para que seus ensinamentos fossem propagados nos Últimos Dias da Lei, período em que seriam encontradas diversas dificuldades para a propagação da verdade contida no budismo.

Segundo o pensamento budista, qualquer religião pode ser dividida em três períodos, dependendo do grau de influencia que ela exerce nas pessoas. No budismo esses períodos foram os seguintes:

– “Primeiros Dias da Lei”, quando oferece meios práticos para resolver problemas imediatos. Duraram cerca de mil anos e foi o período em que o budismo foi praticado na Índia e a prática se baseava na pureza da fé;

– “Médios Dias da Lei”, quando a religião já está estabelecida na cultura e na sociedade, porém torna-se formalizada e deixa de ser relevante para as necessidades das pessoas. Também duraram cerca de mil anos e propagou-se na China, e chegou ao Japão. A religião tornou-se ritualizada;

– “Últimos Dias da Lei”, quando perde totalmente sua eficácia. Pelos cálculos, teria início por volta do ano 1052 d.C. Nesse período, as ordens budistas tornaram-se ricas e os monges guiavam-se por desejos de fama e outras ambições.

Com o tempo, muitos seguidores esqueceram-se de que Sakyamuni era o fundador do budismo, e novas escolas apareceram em sucessão, louvando os poderes de budas imaginários ou negando a necessidade de estudar a doutrina ou de realizar a prática do budismo. O verdadeiro espírito do budismo havia sido totalmente esquecido por volta do início do século XIII no Japão. Por volta dessa mesma época, o budismo da Índia acabou sofrendo o impacto do islamismo da região oeste e desapareceu, embora esse budismo já viesse mantendo uma subsistência conjunta com o esoterismo desde a extinção dos sucessores de Sakyamuni no século VI. De forma semelhante, após a morte de Tient’ai, o budismo da China entrou em decadência, sendo corroído pela influência do esoterismo indiano e pela predominância da devoção do Buda Amida, que era uma derivação do próprio budismo. Além disso, a invasão da China pelos mongóis ocorrida no século XIII causou o total declínio do budismo.

Em meio a essa confusão, Nitiren Daishonin fez seu advento.

Buda NitirenNascido quase dois mil anos depois de Sakyamuni, Nitiren Daishonin (1222 – 1282)  tornou-se monge e estudou profundamente o budismo. Através de documentos antigos, percebeu que as correntes dominantes na época desviavam-se da essência do pensamento de Sakyamuni. Encontrou o ponto central do pensamento do Buda – o Sutra de Lótus – e dali fez renascer o budismo ao revelar a recitação do Nam-myoho-rengue-kyo e o efeito revitalizador e transformador que essa prática traz ao indivíduo. Concentrou sua percepção no Gohonzon e deixou a prática do Daimoku como a chave para a iluminação de qualquer ser humano.

Daishonin foi extremamente perseguido, tanto por seitas budistas como por governantes. Foi  exilado, foi alvo de emposcadas e chegou a ser condenado à morte, da qual escapou por diversas vezes. Durante três anos, Daishonin revelou os ensinamentos àqueles que acreditavam em suas palavras, e faleceu pacificamente na residência de um seguidor.

NitirenPor ter atingido a iluminação por si só e ter revelado a verdade fundamental da vida, Nitiren é conhecido como o Buda Original dos Últimos Dias da Lei.

San

Mas o que é o budismo?

“Buda” é um termo que em sânscrito significa “desperto” ou “iluminado”.

Historicamente, a primeira pessoa que se tem registro de ter atingido a iluminação como Buda foi Siddharta Gautama, príncipe do reino dos Sakyas, que viveu no século VI a.C. na Índia. Após muitas práticas religiosas e meditar profundamente, ele se despertou para a solução dos sofrimentos humanos – nascimento, velhice, doença e morte. Depois disso, passou a pregar seus ensinamentos e ficou conhecimento como Sakyamuni (o sábio dos Sakyas).

flor de lotusOs primeiros ensinamentos de Sakyamuni falavam sobre longas práticas, que poderiam durar milhares de encarnações, para que se atingisse a iluminação ou Estado de Buda. Só depois de cerca de 40 anos de pregação, já nos oito últimos anos de sua vida, o buda Sakyamuni pregou o Sutra de Lótus, que diferia de todos os outros anteriores. Pela primeira vez, ele disse que as mulheres e incultos também poderiam atingir a iluminação.  Que mesmo aqueles que carregavam pesados carmas negativos também poderiam atingir a iluminação. Mais importante que tudo isso, qualquer pessoa poderia atingir a iluminação e encontrar a verdadeira felicidade nesta vida. Bastaria seguir a Lei Mística.

O complicado é que o texto do Sutra de Lótus não deixou claro qual era essa lei mística, e por isso, o sutra foi ignorado por muitas correntes budistas por muito tempo. Somente no século XIII, o monge japonês Nitiren Daishonin compreendeu e revelou a Lei Mística, após muitos anos de estudos do Sutra de Lótus. A solução para a felicidade nesta vida é a Lei Mística, ou a Lei da Causa e Efeito, traduzida em chinês para o mantra Nam-Myoho-Rengue-Kyo (Devotar a vida – Lei mística – Causa e Efeito – Eternidade da vida). Em resumo, nossa felicidade depende unicamente de nossas ações, e não de qualquer ser ou entidade fora de nós. E recitar o mantra que é o nome dessa lei nos coloca em sintonia com ela, aproximando-nos do que nos dá felicidade.

Por ter compreendido e revelado a Lei Mística, Nitiren Daishonin também é considerado Buda, e o conhecido como Budismo de Nitiren segue seus ensinamentos.

Esse blog pretende esclarecer aos poucos esses ensinamentos que parecem ser tão naturais e tão profundos quanto a própria vida.

Beijo a todos!

San